Conhecida como sinônimo da lajota vermelha, a cerâmica moderna assumiu outros tons, cores, texturas e formas. Famosas por caracterizar um ar rústico à construção, essas peças eram largamente utilizadas nas antigas fazendas de café e casas populares.

O preço acessível a tornou popular, no entanto, devido a sua porosidade seu uso era inevitável a construções convencionais pela absorção de umidade.
Alguns estilos arquitetônicos como o colonial e o normando podem ser enriquecidos com o uso de cerâmica tanto no piso como nos revestimentos de parede.

Os pisos exigem materiais mais resistentes, enquanto as paredes pedem peças mais decorativas. A diferença entre outras cerâmicas é basicamente visual, pois sua composição é idêntica: à base de barro, argila e produtos químicos.

O assentamento da cerâmica rústica é semelhante ao do produto convencional, mas devido as suas características especiais, alguns procedimentos podem variar um pouco. Anote algumas dicas:
Excesso de cimento é fatal quando permanece sobre as peças, uma vez que os não esmaltadas absorvem o produto. A limpeza é fundamental para um trabalho criterioso.

Produtos artesanais podem ter variações de tamanho. O rejuntamento mínimo recomendado pelos fabricantes é de 4mm a 5mm.
A variação de tonalidade de cores é uma característica do produto rústico. Quando assentar é importante aplicar sempre que possível azulejos de várias caixas diferentes.

Artigos recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.